2008/12/02

Ventilação não Invasiva

Estivemos em setembro passado a fazer novamente o estudo do sono no Hospital Pediátrico de Coimbra, tinha sido feito á um ano atrás.
Os resultados no ano anterior não foram muito maus, no entanto por apresentar alguns valores anormais e indícios de vir a necessitar a equipa médica achou por bem iniciar a ventilação não invasiva.

A Lobita não aceitou nada bem, chorava muito e fez desde sempre muito resistência, mas apesar deste quadro eu ia conseguindo fazer uma média de uma horita por noite, foi um ano muito longo, todas as noites eu punha o ventilador á meia-noite e ás quatro da manhã, apesar do cansaço começou a ser muito desgastante pois cada vez a lobita foi crescendo mais e percebendo que não queria colaborar com o ventilador, pode-se dizer que estava a começar a ser traumático, havia alturas em que só de ouvir eu a entrar no quarto começava aos berros, ou então situações em que nem eu estava por perto, nem ela estava com o ventilador e começava a gritar a dizer que não queria o “nariz” (nome dado pela lobita á máscara). A situação tornou-se insustentável e tive uma reunião com a equipa médica para a por ao corrente da resistência da lobita, e foi aí que se decidiu fazer novamente o estudo do sono e mais uma série de exames.
Ainda não temos o resultado definitivo do estudo, no entanto nessa manhã de uma forma superficial foi possível concluir que os resultados não estavam piores que no ano anterior e por essa razão o ventilador foi SUSPENSO por tempo indeterminado.
Temos noção que irá ser uma questão de tempo até ele voltar para a nossa toca, no entanto é bom sinal “ele” não estar cá, e assim a lobita vai crescendo mais tranquila.
Desde início que foi séptica em relação ao ventilador e sempre tentei saber quais as desvantagens, todos os médicos a quem abordei esta questão me diziam que não havia, no entanto pela minha experiência de um ano e por tudo o que tentei saber posso adiantar algumas:
- Habituação pulmonar= Como é usado para fazer a entrada de ar para os pulmões estes tornam-se “preguiçosos” e incapazes de fazer a inspiração com a mesma quantidade de ar na ausência do ventilador. Conhecemos situações de outros pacientes acompanhados em Inglaterra com o mesmo quadro clínico que lhes foi aconselhado parar com a ventilação por esta razão em concreto.
- Problemas Eso- Faringicos= a lobita teve que fazer
Um exame, no entanto não foi conclusivo, ela acabou por vomitar no entanto não me conseguiram responder quando os confrontei se seria devido a algum problema ou devido a ter sido forçada a engolir uma grande quantidade de liquido contra a vontade.
- Complicações cardíacas= Quando a lobita está com o ventilador a frequencia cardiaca aumento, não é por acaso que quando vamos ás consultas temos que fazer o exame cardiaco.
-Problemas de sono= Pois estamos constantemente a interromper e a forçar a uma ventilação forçada.
Se souberem de mais algo sobre este assunto agradeço que acrescentem.

NATAL
Apresentamos lindos trabalhos feitos com muito amor e carinho.
Presentes perfeitos para fazer deste Natal uma época solidária.
http://www.lojadaslobitas.blogspot.com/
Obrigado pelas encomendas.

10 comentários:

Anónimo disse...

Espero que a Lobita não precise do ventilador por muito tempo, se ele tiver que vir mais tarde a Lobita será maior e compreenderá melhor, mas agora que ela durma o seu soninho descansado longe dele.

Beijinhos
Cristina
http://blogs.clubedospais.pt/ccsantos

ClaudiaMG disse...

Olá Alcateia

Infelizmente nada sei acerca dessa situação, mas o que escreveste sobre as desvantagens do ventilador tem muito sentido.
Esperemos que o "nariz" fique afastado da vossa alcateia por muito e muito tempo.

Um grande beijinhos

Mãe Sisa disse...

Olá Lobitas,
De momento não me ocorre nada de novo ao que já escreveste...
O Principezinho já passou pela esperiência de ventilações invasivas e também não-invasivas.
O maior problema é a habituação, sem sombra de dúvida, seguido da resistência.
Ele "cola-se" ao ventilador de uma maneira que depois o desmame é muito mais difícil e muito mais gradual do que seria suposto (daí o meu autêntico TERROR em pensar nisto...) e depois as ventilações só podem ser feitas com ele COMPLETAMENTE sedado... estado de "semi-coma induzido".
No hospital chegaram a ponderar a hipótese de trazermos o Bipap para casa, também para fazermos à noite, mas não fazia sentido no caso dele porque 1º teríamos que o sedar! 2º porque, ao contrário das outras pessoas com problemas respiratórios, as saturações de oxigénio dele aumentam durante o sono!
Quanto ao aumento da frequência cardíaca nunca notei grande diferença nele, porque sempre que está em crise respiratória ele fica taquicárdico, mesmo sem ventilação mecânica.
Só posso desejar que a Lobita (e o Principezinho!) cresça sem necessitar novamente destas ventilações e demais complicações!
Beijinho

Vanessa disse...

Pelo menos a nossa lobitinha poderá ter sossego durante uns tempos. Vamos esperar que esses tempos sejam bastante longos - isso seria uma notícia fantástica. Infelizmente nã percebo mesmo nada destes ventiladores, mas que me custa ver uma criança tão pequena com uma máscara daquelas, custa e muito!!!

Tudo a correr bem. Beijos grandes

Marisocas disse...

Olá!
Tudo bem?
Aqui estou eu para anunciar mais uma criatividade minha, a poesia. Passa em http://poesiademarisocas.blogspot.com/ e deixa um comentário.
Beijinhos grandes e Feliz Natal.

Grilinha disse...

Não sei dizer grande coisa, mas a mim parece-me que esse tipo de habituação...ninguém quer.

Há que ponderar muito bem. Muito , muito bem.

Um beijinho

D. disse...

Olá, olá

Deste assunto (e de muitos outros) nada entendo.

A esperiência que tenho destes quase dois anos do Afonsinho e do G. que é asmático (teve a primeira crise aos 6 meses), é que normalmente a nossa intuição e o nosso coração de mãe não nos engana.

Desejo que a situação se mantenha controlada e que gradualmente com o crescimento, a Lobita consiga ultrapassar estas fases em que possa necessitar de ventilação.

Muita força e muitos beijinhos

Marisocas disse...

Um Santo e Feliz Natal cheio de coisas boas. Boas entradas em 2009.

Cristina Silva disse...

Nada sei sobre isso. Parece-me que há que ponderar muito bem.
Um beijo e votos de um feliz natal.
Cris

Marisocas disse...

Espero que tenhas entrado no novo Ano de 2009 da maneira mais especial possível e que este novo ano seja e traga as coisas e desejos melhores possíveis. FELIZ 2009